30 de dez de 2008

2008 - o ano da âncora

"Eu que não fumo, queria um cigarro
Eu que não amo você... envelheci dez anos ou mais neste último mês
(...)
senti saudade... vontade de voltar
(...)
O certo é que eu dancei, sem querer dançar
E agora já nem sei qual é o meu lugar"




Das justificativas...
Sei que este não é o espaço para o que pretendo postar aqui. Mas se eu quiser ficar categorizando tudo o que escrevo... acho que vou pra mais de 2165461368546315 blogs.
Pois é, a dieta foi pro espaço. O ganho de peso é notável. Estou retomando a dieta pouco a pouco. Hoje evitei o pão.
O meu problema foram os últimos meses desgraçados que me apareceram no meio da estrada... dos dias finais de outubro em diante foi só stress, tensão e ansiedade demais!
Fim de ano letivo, falecimentos consecutivos na família do ex-namorado, problemas com a família do mesmo, encomendas, exame na disciplina a que mais me apliquei e daí por diante...


Dos frutos de 2008... e do porvir
Se eu pensar em frutos colhidos em 2008, o mais vistoso e mais delicioso foi a minha troca de trabalho, estou num lugar em que me sinto mais em casa do que em minha própria casa (sim, foi redundante). Mudei de serviço no momento em que eu queria abandonar o local onde eu estava trabalhando, enfim a luz no fim do tunel não era o trem! Pelo contrário, foi a chave para que eu fosse mais feliz, mais satisfeita... me impulsiona a cada dia! O lado mais lindo e brilhante de 2008.
No mais, usei a parte ruim do meu 2008 e estou convertendo num feliz 2009 pra mim. Odeio de morte essas frescuras de ano novo/feliz ano novo/adeus ano velho... mas esse ano eu precisava recauchutar tudo pra que 2009 se abra diferente pra mim, bem diferente do que foi 2008.
Comecei no visual.. cortei cabelo! E prepare-se, vou pintar... piercing também é uma das prioridades. Amanhã vou caminhar. Dieta de volta já!
Dei segmento à minha mudança removendo a "tralha": falsas amigas, namorado negligente/falso e amizades que me buscavam por interesse. Tudo no lixo, com um pé meu na bunda de cada. Feliz? Ainda não sei. Espero as conseqüências disso. A princípio estou feliz!
Ah, teve mudança pra mal também... carregarei disciplinas. Vou lidar com um lado meu que eu não conhecia: o lado fracassado. Já estou trabalhando nisso pra superar esses fantasmas que vão me perseguir ano que vem e assombrar a minha provável (ou não) formatura. O sentimento de fracasso é, ao mesmo tempo, amargo e dolorido. Insuportável, pungente e depressivo.


Do agora... incluindo o namoro falido
Estou passando por um momento meio indefinido, que eu não sei o que é, como é nem nada do tipo. Primeiras férias da minha vida! E no segundo dia eu já estava louca por não ter absolutamente nada pra fazer, nem compromisso nenhum... isso me adoece.
Terminei com o bofe também... depois de um tempo indeterminado de namoro (sim, não tínhamos data de porra nenhuma.Sabe namoro iôiô? Aquele que vai e vem? pois é) - tempo esse que estimo em algo em torno de 1 ano e 1 mês - eu desisti dele. Odeio sentir insegurança, seja no sentimento que for, amizade, ódio ou o que for; e ele me dava muita insegurança e o que é ainda pior: incerteza. Nunca soube o que acontecia dentro daquela caixa toráxica dele (agora também nem me importa mais) e mais: ainda aturei desrespeito às pampas.
Era louca por ele. Declaradamente. Mas o relacionamento estava me fazendo mal, muito mal. Passava nervosa, comia demais, sofria demais, tinha inveja demais (sim, eu estava com inveja da felicidade dos outros... coisa mais deprimente do mundo) e não confiava nada nada nele. Não aturava mais as humilhações e as brigas que ele tinha o maior prazer em desenvolver de uma hora pra outra. Não se tinha um dia de paz.
E agora, com o fim e passado o momento de raiva inicial, achei dentro de mim uma paz de espírito que há muito eu não sabia que existia! Por mais que eu pense nele e ainda sinta algo se revolvendo aqui por dentro eu começo a pensar que o que eu sentia era só um sentimento de posse, a velha mania do "é meu". Uma pessoa que se mostrou, depois de um tempo, bem diferente da que eu conheci: queria apagar o meu brilho em qualquer situação (incluindo situações perante os meus pais) e que impunha que eu aceitasse coisas inaceitáveis; também achava que a única opinião correta era a dele, tinha prazer em me depreciar e daí pra bem pior. A pior dor que carrego a respeito disso é ter, de-repente-não-mais-que-de-repente, descoberto que eu TAMBÉM (sim, digo também dada a lista de horrores vividos) fora usada.
Meu instinto animal, selvagem, manda-grita-berra-ordena que eu tente retorno. Mas mil perdões... bendita seja a minha razão que me coloca no lugar em todas as situações. Se fosse pela pessoa que conheci, talvez até repensasse a decisão tomada. Mas eu sei que a pessoa que eu conheci não existiu senão naquela noite e em raríssimas ocasiões. Ah! E dentro da minha ilusão.
Acho que eu nunca vou ter definições bem claras sobre tudo o que aconteceu, por mais que eu quebre a cabeça every single day tentando saber o que aconteceu... não é nem questão de saber, mas de entender claramente o que foi isso exatamente.
Hoje eu, vendo reprise de novela vi a tal Heloisa a quem o falecido sempre me comparou, dizia que eu era neurótica como ela e daí por diante. Sempre compreendi o que aconteceu com a pobre (nos parcos capítulos que me prestei a assistir) da coitada. E hoje eu estava vendo uma cena que me deu um estalinho: ela quer ser mãe, como se isso resolvesse o problema do casamento dela e o marido dá uma dura nela, dizendo que ela finge que nada acontece, finge ter o relacionamento bem enquanto, na verdade, o relacionamento não existe de fato. Ele se retira da sala pra ir na casa de uma amiga. Ela, já com cíumes e mais a dor da estupidez dele, chora.
Era o que eu vivia... eu suportava coisas inadmissíveis sempre sorridente, com aquela cara de criança cagada que diz "não é comigo mamãe". Não havia relacionamento. Não havia nada! O que faltava era o basta. E eu dei.
Acho que é por isso que eu guardo questionamentos sobre o que aconteceu. Se nada existia... por que é que durou tanto? (quando me pergunto isso me sinto culpada) Por que eu deixei acontecer? (quando me pergunto isso me sinto mais culpada ainda)


Desejos, desejos...
Daqui pra frente eu só quero progredir... 2008 pra mim só guarda um símbolo: uma âncora (ou algemas?). Não vi grandes progressos neste ano pra mim, eu parecia estagnada... algo que eu nunca fui nem nunca quis ser.
Ganhei companhias novas. Perdi amizades que eu julgava leais. Enterrei pessoas queridas. Briguei muito. Reergui pessoas (que não mereciam ser reerguidas). Fechei portas atrás de mim. Mantive velhas amizades apesar de barreiras. Adquiri coisas almejadas com meu esforço. Presenteei gente que eu gosto. Aprendi a me amar mais e a pensar mais em mim. Aprendi novas habilidades (me descobri uma boa crocheteira). Me descobri com talentos desconhecidos (cantora, crê?). Adotei filhotes.
Muitos idos, vindos. Perdas, ganhos. Descobertas, redescobertas.


... e mais desejos ainda!
Agradeço por ver um 2009 nascer. Por estar viva, saudável e progredindo a cada dia.
Espero não repetir erros passados e desejo cometer muitos (se não inúmeros) acertos.
E pra quem me acompanha (à minha maneira relapsa de ser) desejo o mesmo: saúde, progresso, muita vida! Acertos e ganhos sem fim. Muito esforço e dedicação. Nada de amor e nada de preguiça!

Um beijo...
Debby.

9 de out de 2008

64º dia - Completamente controlada, feliz e 13KG a menos nos meus 157cm!

Depois de 54 dias de afastamento do meu blog... Cá estou!
Podem acreditar piamente no que afirmo: Já são nada mais nada menos que 13 Kilogramas a menos no meu bendito corpo de 1 metro e 57 centímetros.
Pode parecer um tanto inacreditável e pode até mesmo soar como conto da carochinha eu dizer que não tenho mais problema nenhum com a comida, nem eu acredito nisso também... mas é verdade! Me servir com moderação e só os meus "pastos" e lights já virou hábito comum.
Na ansiedade, perco a fome.
Esses dias nem comi tudo o que tinha me servido (considere que a minha porção é sempre a mesma, sempre) faltou estômago para aquele caminhão todo.
Vez que outra me permito um exagero, uma coisinha doce e esses dias comi macarrão (quase morri de tanto peso dentro de mim, mas comi... coisa bem bouuuaaaa!!!). Riam da gorda metida a magra: sim, passo mal se como demais ou se como algo muito pesado. Esses dias fiquei caminhando como grávida no centro da cidade porque comi num restaurante natural e me passei na porção do arroz (e acabei comendo uns trequinhos lights a mais também, o que acabou me tomando espaço dentro da pança). Isso me deixa feliz... em outros tempos comeria o restaurante, pois aquela comidinha lightzinha não me sustentaria. Nem o resto da dispensa do tal estabelecimento.
Bom, o IMC caiu loucamente. Já estou em 37.2 o que, de acordo com o sitezinho aquele que indiquei, significa que saí da obesidade mórbida pra obesidade moderada há muito tempo!!!
Ontem comprei uma roupitcha (morrendo de medo de me desiludir)... mas o resultado foi tão positivo quanto a minha entrada naquele casaco fenomenal que ganhei da Aninha! Bati o olho numa blusinha lilás G e faleci! Mas a cabeça positiva que Papai do Céu me deu com tanto amor me disse: Não entra nem com ziriguidum!!! Mandei a cabeça positiva às favas e comprei a bendita blusa lilás G. Saí da loja sem tentar vestí-la. De quebra comprei mais umas coisitas que poderiam jamais entrar no meu corpo e eu ter que jogar o dinheiro fora e doar pra um corpo mais decente que o meu seria uma necessidade.
Cheguei no serviço sem me agüentar e corri no banheiro, histérica e ansiosa. Já tinha me pesado (antes de comprar a blusa) e a balança foi minha amiga: 92.700! Só faltava entrar na blusa sem que a costura se estalasse inteira...
Fui... tirei a minha blusa com medo. Tava até afim de desistir da tal prova... mas fui, tinha uma amiga minha esperando tão ansiosa quanto eu (ela sabe quem é e sabe o quanto amo ela, nem preciso comentários maiores, né Diva???). Beleza. Só de calças e sutiã... vamos à blusa que é tão linda e matavilhosa e minúscula. Entrou na cabeça... vamos aos braços. Ai! Passou um bem, passou o outro. Ah, esse G é fake! Vamu vê! Passou legal no silicone made in barriga da mamis e deslizou... SIM! A BLUSA G MINÚSCULA DESLIZOU NO MEU CORPO IMENSO!!!! COISA BEM BOOOUUUAAAA!!! Não estalou, não esgarçou, não descosturou nem nada que um gordo consegue fazer numa peça de roupa menor que ele. Só eu sei o que foi bom aquilo! Fogos de artifício pra mim.
Tô com a blusa linda maravilhosa aqui hoje, no meu corpo... lindésima, soltinha, um xuxu!
Espero conseguir voltar aqui mais vezes! A vida anda meio caótica e acaba me tirando um pouco o gosto pelas coisas que mais amo: meus rabiscados.
Pelo menos estou deixando notícias a vocês que me acompanham e me pedem updates: são vinte e uma horas e três minutos do dia nove de outubro de dois mil e oito, sexagésimo quarto dia de reeducação e abstinência alimentar (que deixa de ser martírio dia a dia) noventa e dois quilos e setecentos gramas, uma blusa G, trinta e dois vírgula sete de IMC e uma obesa muito feliz.

15 de ago de 2008

14/08/2008 10º dia (mais disposta)

Hoje nem tenho muito o que falar, só o mesmo usual de sempre.
O interessante é que a cada dia tenho encontrado mais gente disposta a emagrecer e a trocar idéias sobre emagrecimento, alimentação e todo o mais.
Estou usando umas ferramentas virtuais para me ajudarem com o martírio... uma delas é o site Planeta Natural que calcula o IMC (Índice de Massa Corporal) sem maiores problemas... é só preencher as lacunas com peso e altura e pedir o cálculo!



Uma coisa que encontrei no meu e-mail e que eu nem me lembrava mais é um site que faz o acompanhamento da dieta por meio de gráficos e indica dietas ideais... é um acompanhamento nutricional gratuito é bem útil pra quem está começando ou que quer ter um gráfico de progresso ou retrocesso do martírio.
Um exemplo de gráfico de evolução: (claro que o meu está em retrocesso, estou retomando ele pra colocá-lo em ordem, estarei com uma semana de atraso em cada atualização)

14 de ago de 2008

13/08/2008 - 9º dia e primeira pesagem

Bom, hoje o dia começou bem... aulas normais, encheção de saco usual e tudo o que manda o figurino. O que teve de novidade é que o moleton que ganhei de dia dos namorados entrou bem no meu corpo e está começando a sobrar. Coisa boa não ter a barriga esmagada pelas roupas!!!!
Na metade da manhã descobri a oportunidade que faltava pra ir ao centro e ir numa balança de farmácia...
Realmente, fui... e para minha surpresa: 100KG!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Inacreditavelmente e sem nenhuma fé na dieta: menos 5 quilos!!! E no limiar para os dois dígitos!!!!
Mas ainda obesa. E ainda tendo que emagrecer emagrecer emagrecer loucamente!
Fiquei feliz e me presenteei com um Bubbaloo de chocolate! Porque eu andava louca pra comer chocolate e não posso, me proibi de ingerir qualquer alimento com açúcar, exceto pelas frutas que têm sua glicose natural. Me tapeei com um chiclé de chocolate que tem 16kcal! Fiquei feliz pelo peso e pelo "chocolate" de mentirinha. Mas comemorei mesmo me presenteando com uns badulaques: argolas e piranhas para o cabelo. Coisa boa me sentir menos obesa! (porém ainda obesa)
Novamente hei de repetir: emagreci mas não acredito que estou magra. São 5 quilos a menos mas a obesidade ainda existe e eu vou seguir em frente. Amanhã eu como churrasco, só amanhã!
Em casa minha mãe comemorou efusivamente e meu pai está todo orgulhoso.
Não acho que 5 quilos sejam grande coisa, mas reconheço que excessos em termos de dieta são um risco que eu não posso correr. Anemia e fraquezas em geral eu não quero, só quero um pouco mais de saúde.
Parabéns a quem me atura com fome e obrigada pelo apoio de todo mundo!!!
É cenzão, gurizada... semana que vem subo na balança de novo pra averigüar como anda a situação.
Deixo o fricaseé e o feijão da mamãe para amanhã.

12/08/2008 - 8º dia (sem coragem pra ir brigar com a balança)

Bah, não deu de encarar a balança, tenho medo do que ela pode me dizer. Inventei uma desculpa sobre falta de tempo, esquecimento e daí por diante só pra não ter que assumir que, além de obesa, sou medrosa.
As gurias me disseram que estão me achando bem menos redonda, principalmente em se tratando de barriga, mas eu prefiro não acreditar, pra não relaxar. Fico feliz que o resultado (que resultado? Sem balança, sem resultado) esteja aparecendo, mas não me convenço.
Minha mãe debocha que tem que fazer o mesmo, reclama que está redonda... a Tati (minha Diva que me atura...) disse que vai ter que tomar vergonha na cara também, e por aí vai. O que eu digo a ela e que é fato (e bem desagradável, por sinal) é que, enquanto não há choque, não haverá impulso. Não sei se alguém já defendeu isso e nem quero bancar a nerd em dietas, mas o fato é esse. Se não subir na balança e se chocar, não vai emagrecer e não vai sequer tentar fechar a boquinha! A menos que esteja paquerando alguém ou tenha sido corneada(o)... mas daí são outros quinhentos e dietas bem mais, digamos assim, selvagens.
Cheguei em casa super cansada e sem nenhum ânimo pra fazer comida... por sorte, a mamis pensou em tudo e fez uma das minhas gororobas lights favoritas! O que me deixou muito muito muito feliz! Comi minha comidinha e fui dormir.
Mas vamos ao relato da "comidinha": tinha um macarrão (frio, do almoço) e um feijão novo muito fedorento que gritavam loucamente de cima do fogão para mim: ME COOOMEEEEEE. E eu, delirante pensava, hoje não hoje não hoje nããããoooooooo... nunca me servi tão rápido, e nunca disparei da cozinha com tanto medo de mim mesma. O meu corpo não estava respondendo ao meu comando, eu dizia: é só a gororoba e uma meia dúzia de grãos de arroz... e tá acabado. Mas o corpo queria era o macarrão frio do almoço e aquele feijão fedidinho que deixou até meu quarto com cheiro de feijão novo e ruim, e magricela e... aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!! SIMPLESMENTE DESESPERADOR!
Não sei mais com quem eu brigo... se eu brigo com a cabeça, o corpo bobeia, se brigo com o corpo, a cabeça me trai. Tô numa luta de titãs e o meu mantra é: autodomínio, autodomínio, autodomínio. E brigo comigo mesma: amanhã, OBESA! Isso me convence na hora que eu não posso comer.
Meu nojo está passando gradualmente, mas ainda assim nem olho pro meu corpo na frente do espelho... e também nem tento, nem me esforço... o espelho é pra arrumar o cabelo e rebocar a cara. Só. (e tá bom demais, porque a cara de Bolacha Maria tá um horror também)
E sobre a balança, acho que amanhã me encorajo.

11/08/2008 - 7º dia e às vésperas de uma próxima pesagem

Hoje? Nada de novo no front... passei o dia tranqüila e correndo bem louca no serviço, nem deu tempo de fome, nem de ansiedade nem de nada.
Dia sem graça... (ou sem sal nem açúcar? hehe, que trocadilho idiota!)

11 de ago de 2008

10/08/2008 6º dia, e o progresso já dá sinais...

Hoje, dia dos pais... e o almoço num buffet que eu amavaaaaa nos bons tempos de obesa E comilona(porque obesa ainda sou). Judiaria que só pude comer as saladas, a sorte é que tem todo o tipo de coisa saudável por lá!
Inventei de ousar: peguei a minha camisa rosa de botões que eu adorava e que quando entrava, se abria e o resultado foi super satisfatório!!! Ela coube legal e, o que é melhor: ela não se abriu!!!!!! Não me sinto magra, nem nada do gênero, mas me sinto satisfeita por ver que já tenho pequenas conquistas. Fui pro restaurante nela, e com uma jaquetinha mais certinha também.
Almocei as minhas coisinhas lights e tomei refri (light, claro) que é uma coisa que eu adoro. Me senti satisfeita e não tive vontade de repetir. Meu nojo ainda existe, mas está amainando. De tarde não tive fome nem vontade de comer então deixei para comer mesmo no jantar.
Na janta fiz uma gororoba colorida que até meu irmão mais novo, que odeia couve e cenoura, comeu e gostou. Uma pena que o arroz foi inevitável, mas eu tenho que ingerir vários tipos de proteínas, mesmo sabendo que elas possam não colaborar comigo.
O dia passou novamente mau-humorado e brigão. Sei que faz parte mas tenho que aprender a me controlar. Descansei um pouco, pois ainda me sinto meio sonolenta e ainda tenho um pouco de dor de cabeça também.
Faço planos de, durante a semana, começar a me movimentar, acho que vou caminhar no horário de meio-dia, pois é o horário que tenho disponível e que fico sem absolutamente nada pra fazer. Já tenho companheira e tudo pro martírio (sim, odeio caminhar).
Agradeço o pessoal que anda me acompanhando diariamente e me dando força pra continuar... a Edilene, minha amiga de longa data; a Aline (que vai caminhar comigo) que me aturou no msn reclamando de mau-humor; a Tati que me atura chegando no departamento e dizendo: ai que fome! (mesmo que eu tenha comido 5 minutos antes); o Ber, o pobre do namorado que atura meus surtos com paciência e me aconselha com todo o carinho... e mais um monte de gente que lê o meu blog e me comenta: eu li, vai fundo. E por aí vai.
Um beijo no meu alemão também! Que come a minha gororoba, diz que está boa, deixa meia porção e vem tentar me convencer a comer o que restou no prato dele (com o intuito mais do que claro de fazer com que eu burle a dieta hahaha).
Sigo em frente, com uma camisa de botões que não se abre!!!!
Próximo passo: a jaquetinha G!

10 de ago de 2008

09/08/2008 - 5º dia (e por incrível que pareça... não morri estando em casa)

Bom, hoje descobri que uma réles colherada de um creme (usado como cobertura em bolo) tem milhões de calorias que são capazes de engordar todo o peso perdido em 5 dias (vou até mandar pra estudo)! Mas isso não vem ao caso.
EU mesma tive que providenciar meu almoço hoje, o que me ajudou a ter mais confiança em mim mesma, comi bem pouco. De tarde a alimentação foi fruta. Pensando muito no que aconteceria à noite, economizei calorias pra que, caso acontecesse um excesso, eu tivesse compensado com poucas calorias ao longo do dia.
Para minha surpresa, tinha muita salada saudável por lá... mas fiquei bem deprimida ao ver aquele feijão (e que feijão mais lindo aquele!) e ter um prato cheio de saladas. Mas comi bem e me senti satisfeita.
Estou percebendo que o mal-humor e a ansiedade andam me corroendo,e muito!!! Estou extremamente insuportável, além de obesa e feia, estou insuportável, rabugenta e todo o mais que um gordo fica quando está em crise de abstinência.
Hoje o banho foi especial, não consigo mais ter contato com meu corpo... minha barriga está um nojo!!!! Não tenho mais coragem para me tocar, logo vou comprar uma esponja bem bonitinha para mim. Na verdade, acho que estou ficando deprimida pelo fato de as roupas que eu gostava de usar não entrarem mais ou ficarem extremamente apertadas no meu corpo, estou me sentindo um lixo humano... mas ando dando segmento às maquiagens e brincos, correntes e futilidades em geral, uma hora eles vão fazer efeito.
Enquanto isso, eu adoro ler diários de dieta, e leio o quanto posso, porque as meninas que publicam seus diários em blogs são tão positivas e felizes apesar de toda a dificuldade... eu não consigo ser assim, parebenizo uma a uma pela força delas, porque na minha cabeça só o que passa é: depois dos 3 dígitos, nunca mais... eu não vou conseguir... vai levar a vida toda... e daí por diante. Estou como uma alcoólatra: é só hoje, amanhã eu já posso dar uma colherada no Nescau; é só por hoje, amanhã eu encho meu prato de feijão; só mais um dia, depois eu como 2 ovos fritos e um hambúrguer; só hoje, amanhã eu como um quindim e um cachorrão. Mesmo sabendo que amanhã eu vou evitar tudo isso de novo, eu sou tão persuasiva que eu mesma acredito no que falo para mim (quanta burrice acumulada) e espero pelo amanhã, quando eu me proíbo de novo e protelo para o dia seguinte a comilança. E leio e escrevo sem parar...
Dormi assim que voltei do jantar, pois voltei com vontade de doce. Imagina só, chegar e comer um chocolate, uma coisa gostosa assim? Antes que eu ficasse em fúria (a mais do que já estava), escovei meus dentes e dormi... enganei direitinho o cérebro!!!
Boa noite e boas comilanças a quem pode... eu só comerei amanhã!

9 de ago de 2008

08/08/2008 - 4º dia... me tornando mais civilizada, então

Hoje passei o dia mais civilizada... ainda comentei com uma amiga que deixei de ser um animal irracional e selvagem e agora descarto toda e qualquer possibilidade de uma provável tentativa de comer o que se movesse perto de mim. hahaha
Não comi arroz o dia todo, e ainda assim me senti bem! Não tive fome nem morri de abstinência... sou uma tarada por arroz e, até alguns dias atrás eu jamais acreditaria que seria capaz de sobreviver sem o bendito grãozinho que eu amo.
Por mais incrível que isso possa parecer, meu corpo está mais adaptado e não passa o dia urrando loucamente, e o meu cérebro está me dando um descanso. Passei o dia tranqüila, quase zen... INACREDITÁVEL!!! Nem parecia que eu estava numa dieta pra faquir! Pena que eu sei que isso é temporário, logo o corpo começa a entrar em colapso de novo. A sorte foi que a dor de cabeça só me acometeu à noite, perto da hora de dormir.
O inchaço da alimentação excessiva e o inchaço dos meus tornozelos (que me fazia parecer com o Pé Grande)já foram embora, e já teve quem me disse que eu emagreci... pobres mortais... eu ainda estou imensa, desanimada e me sentindo um lixo. Mas me sinto um lixo mais leve, não sinto tanto cansaço (proveniente do excesso de alimentação, a sensação de peso e falta de ar). Começo a criar nojo da minha barriga,tenho que começar a caminhar o mais rápido possível pra não andar de saia por aí... hehehe
Os problemas de vaidade já estou fazendo por onde me condicionar... tomei uma mijada de uma das Divas que me disse que eu perdi a vaidade e que eu tenho que dar um jeito de recuperar. Já "desencavei" meu delineador, meus batons. Escondi meu brilho labial transparente. Quem sabe isso me ajude mas, mesmo rebocada eu ainda me sinto feia e gorda. Mas estou me esforçando pra não sair de casa de cara lavada e sem brincos, pelo menos isso. Estou certa que a minha mudança de opinião vem com o tempo! Por quanto tempo eu fui bonita para mim mesma?? (por muito tempo, podes ter certeza) Resta relembrar o que eu esqueci! ...e recuperar velhos hábitos, como NUNCA sair de casa sem brinco e o lápis no olho.
O que eu mais gosto nisso tudo é de ver o pessoal apoiar! Os amigos que no meio da manhã, sabendo que tu estás faminta e de dieta e que fazem questão de dizer: ai, tô com uma fome!!! Lembrando a ti mesma que tu também estás com uma fome enlouquecedora mas que, diferente deles, tu não podes comer (pelo menos não o que eles podem comer). Isso tudo sem citar os que se esquecem que estou em dieta e me oferecem refrigerantes, lanches, doces e por aí vai... uma lista inumerável de itens que para mim não são comestíveis e que, em ocasiões mais obesas, raramente (ou, sendo completamente sincera, NUNCA) me seriam oferecidos.
Mas eu estou firme e forte, porque mesmo que me dê votade de comer uma coisa bem pesada, bem calórica e doce, eu vejo a vítima a ser comida e o número maldito (105) bate na minha cabeça e toda a vontade de degustar uma coisa doce e com gosto vai embora e fica uma nojeira... daí eu bebo água... em média 3 litros diários!
Ah, e pra não esquecer de agradecer, a Aninha, do blog A Solidão Nunca Está Sozinha, me deu uma jaquetinha linda da Levi's! E que vai ser mais um estímulo para mim!!! Porque eu visto GG e a jaqueta é G, assim que eu entrar nela, começamos a primeira comemoração... com muita água, alface e tomate! Aninha, muitooo obrigada! Um beijo pra ti, poetisa tunti tunti!!!
Falei em mudar o tamanho das roupas e esqueci de faar em metas... Bom, a idéia inicial é voltar para os dois dígitos. Depois defino o que mais eu quero. Vou matar um leão de cada vez.
Um bom fim de semana e muita sorte para mim... porque amanhã (09/08/2008) tem o jantar dançante do meu irmão mais novo e o cardápio é de matar o índio: galeto, polenta, saladas e massas. Que bom que é coisa de gaudério e tem muito chimarrão pra eu beber... e vou torcendo que tenha uma saladinha de alface! (porque maionese... aff!)

8 de ago de 2008

07/08/2008 = 3º dia sofrível...

Incrível como as pessoas que mais precisam de algo são as que mais sabem...
Essa função de dieta só me confirma uma teoria que eu sempre defendi: "gordos são PhD em dietas". Queres saber de dietas ideais, metabolismo, reações adversas de uma dieta e exercícios? Procura um gordo! Não há quem possa afirmar melhor sobre a temática do que uma pessoa bem fofinha (talvez, muito dificilmente, um profissional na área...).
É como um fumante... ninguém sabe melhor do que um fumante ativo como parar de fumar, como funciona a abstinência e as "manhas" para substituir a nicotina. Mas ele não abandona o vício, bem como a gorda não emagrece.
Não vou entrar em pormenores do porquê a gorda é gorda se sabe tanto, a questão é mais psicológica e metabólica do que propriamente alimentar... eu, como boa gorda que sou, consigo explicar este porquê, mas já estou entrando na fase da dieta "com muita preguiça e sem nenhuma paciência".
Meu corpo já se deu conta que diminuí o recurso de energia que ele recebia diariamente e, pra me ajudar, ele já começa a meter o pé no freio e fazer uma reserva de energia. Isso é triste. Ando sentindo mais frio e o sono tenta me derrubar o dia todo... parece que até o mundo está mais lento para mim.
Pra não ser dito que não falei em abstinência: estou pior do que drogada, obsessiva... só penso em comida e, preferencialmente, nas que eu não posso sequer pensar em ingerir porque acabo por engordar. Isso sem citar as dores de cabeça que deram as caras hoje e que irão me acompanhar por um período de tempo considerável enquanto eu, meu corpo, minha cabeça e as pessoas ao meu redor (a pobre família e o pobre namorado que me apóiam) adaptam-se ao novo estilo de vida adotado por mim há recentes 3 dias... TRÊS DIAS!!! ...e isso a mim pareceu uma vida. E litros inacabáveis de água. (litros estes bebidos sonhando loucamente com o meu tradicional café forte e DOCE, um chocolate quente, uma Coca Cola geladinha e todas as coisas gordas que amo de forma insana)

(pelo menos chimarrão tem gosto... amargo, mas tem)

Mau humor??? Eu??? O quê??? Tá louca??? Eu tô tri bem, e ai de quem contradiga o que eu disse! Mato!
Pra constar: o almoço será couve, arroz (que nem se enxerga no prato) e um cheirinho de feijão que mais parece uma mancha no arroz... (claro que estou delirando, sonhando com uma coisa bem pesada, bem gorda e altamente calórica!). O que vou beber? haha... água, né? =(
Passei o resto do dia com dores de cabeça quase insuportáveis.
Por hoje é isso...

06/08/2008 2ºdia(anestesiada)

Anestesiada e faminta!
Mas vamos em frente...

7 de ago de 2008

05/08/2008

Enfim, o estímulo que faltava... (estímulo leia-se susto)

Hoje passei por uma situação e tanto: vi uma balança! E, como qualquer réles mortal, me encarapitei nela na curiosidade. Sabe como é, tempos sem subir numa, a curiosidade me acomete sincertamente. E como a curiosidade matou o gato eu, apesar de gata (nem tão gata assim) escaldada, não morri porque alguém lá em cima não deve simpatisar comigo e não me quer por lá...
Vamos aos fatos: sou uma criatura, como dizem os adoradores de eufemismos, “gordinha”. O que não chega a ser mentira, mas passa a ser ao se considerar que eu passei do ponto de “gordinha” há muito tempo, por uma infelicidade genética, alimentar ou sabe Deus que infelicidade é esta, eu sou OBESA. Esta é que é a verdade... nua e crua. (realmente crua, porque agora, nada de gorduras, baby...) Não, nua não... obesas nuas não são grandes atrativos.
Bom, a subida na balança foi um ato heróico e a descoberta foi digna de mártir... (caraca, como eu consigo debochar de coisa tão séria?) bom, os números passearam loucamente... a casinha do 10 e do 20 eu nem vi passar, a do 30 passou com a velocidade da luz, mal se via a pobre... a do 40 e do 50 voaram e a do 60 e 70 não ficaram por baixo. Coisa habitual. Só começou a se tornar crítico, realmente crítico, quando a casinha do 80 vinha chegando porque neste momento se inicia a torcida incessante: pára pára pára! Foi triste, mas passou a do 80, quando a do 90 virou a dos 3 dígitos eu estava a bem dizer à beira de um infarto... quando a balança enfim se equilibrou, eu já tinha medo de olhar... 105 Kg... cento e cinco kg!!!! CENTO E CINCO QUILOGRAMAS!!!!!!!
Sim, 105 porque, pra mim, 104.300 é 105, tá? Esconder o quê? Um quilinho a mais, um a menos, quando se alcançam os malditos, odiados e indesejáveis 3 dígitos (pesadelo de qualquer gorda, gordinha e gordona que ainda está nas lindas e maravilhosas 2 casinhas) não faz diferença nenhuma se é 101 ou 102... claro que em se tratando de um 99.900, arredondar para 100 faz toda a diferença!
Me estragou o dia essa escalada à balança. Passei o dia com o bendito 105 batendo na cabeça. O bom é que cada vez que eu pensava no valor eu me acordava e perdia a fome. Não podia ser! Não era comigo que uma coisa dessas estava acontecendo! ...Isso era o que eu pensava... mas SIM, era comigo e era assim mesmo.
Fugi do serviço mais cedo, minha pressão passou o dia oscilando, não sei se pela fome, ou se pelo nervosismo de saber que eu estava mal, bem mal. A sorte foi chegar em casa e ter uma família agitada pra me acolher, o que me distraiu bastante e fez eu esquecer um pouco da desgraça que foi a idéiazinha idiota de subir numa balança no horário da manhã. Pena que a hora da janta lembrou que comida ENGORDA, aumentando os meus 105 pra sabe-se lá quanto... jantei, pois tinha passado o dia sem comer, mas comi que nem passarinho. (porque agora, pra mim, até alpiste engorda!)
Antes de dormir, eu estava trocando de roupa no quarto e fiz uma coisa que acabei percebendo que há tempos eu andava evitando: me olhar no espelho. Essa foi a parte mais deprimente de todo o horror que eu vivi no dia de hoje. Aí sim eu me toquei. Me toquei no sentido de me dar conta de como andam as coisas pra mim fisicamente. Porque eu descobri que tenho nojo de mim. Estou com nojo de mim, pra ser mais sincera. Observei milimetradamente cada pedacinho do meu corpo... rosto, braço, ombro, tudo... tintin por tintin. Decadência total, acho que nem com sessão sobre sessão de lipoaspiração eu resolvo o problema.
Mas antes que eu tenha outras alternativas mais dispendiosas financeiramente, eu vou pelas alternativas mais “undergrounds” que eu tenho ao meu alcance: fechar a boca e procurar me movimentar. A sorte é que o apoio da família e do namorado foram imediatos... dependendo da média de peso perdido, é a qualidade do presente do namorado ao fim do primeiro mês de “dieta”! O pior é o pessoal ao redor dando pitaco em coisas que eu sei bem, do tipo: como fazer uma dieta, que tipo de atitude deve ser tomada, etc. Isso parece que me piora, me deixa além de gorda, com cara de burra. E me relembra toda a trabalheira que eu tenho pela frente rumo à perda de peso. Quanta infelicidade junto!

Hoje me deito me sentindo frustrada e fracassada...