14 de ago de 2008

12/08/2008 - 8º dia (sem coragem pra ir brigar com a balança)

Bah, não deu de encarar a balança, tenho medo do que ela pode me dizer. Inventei uma desculpa sobre falta de tempo, esquecimento e daí por diante só pra não ter que assumir que, além de obesa, sou medrosa.
As gurias me disseram que estão me achando bem menos redonda, principalmente em se tratando de barriga, mas eu prefiro não acreditar, pra não relaxar. Fico feliz que o resultado (que resultado? Sem balança, sem resultado) esteja aparecendo, mas não me convenço.
Minha mãe debocha que tem que fazer o mesmo, reclama que está redonda... a Tati (minha Diva que me atura...) disse que vai ter que tomar vergonha na cara também, e por aí vai. O que eu digo a ela e que é fato (e bem desagradável, por sinal) é que, enquanto não há choque, não haverá impulso. Não sei se alguém já defendeu isso e nem quero bancar a nerd em dietas, mas o fato é esse. Se não subir na balança e se chocar, não vai emagrecer e não vai sequer tentar fechar a boquinha! A menos que esteja paquerando alguém ou tenha sido corneada(o)... mas daí são outros quinhentos e dietas bem mais, digamos assim, selvagens.
Cheguei em casa super cansada e sem nenhum ânimo pra fazer comida... por sorte, a mamis pensou em tudo e fez uma das minhas gororobas lights favoritas! O que me deixou muito muito muito feliz! Comi minha comidinha e fui dormir.
Mas vamos ao relato da "comidinha": tinha um macarrão (frio, do almoço) e um feijão novo muito fedorento que gritavam loucamente de cima do fogão para mim: ME COOOMEEEEEE. E eu, delirante pensava, hoje não hoje não hoje nããããoooooooo... nunca me servi tão rápido, e nunca disparei da cozinha com tanto medo de mim mesma. O meu corpo não estava respondendo ao meu comando, eu dizia: é só a gororoba e uma meia dúzia de grãos de arroz... e tá acabado. Mas o corpo queria era o macarrão frio do almoço e aquele feijão fedidinho que deixou até meu quarto com cheiro de feijão novo e ruim, e magricela e... aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!! SIMPLESMENTE DESESPERADOR!
Não sei mais com quem eu brigo... se eu brigo com a cabeça, o corpo bobeia, se brigo com o corpo, a cabeça me trai. Tô numa luta de titãs e o meu mantra é: autodomínio, autodomínio, autodomínio. E brigo comigo mesma: amanhã, OBESA! Isso me convence na hora que eu não posso comer.
Meu nojo está passando gradualmente, mas ainda assim nem olho pro meu corpo na frente do espelho... e também nem tento, nem me esforço... o espelho é pra arrumar o cabelo e rebocar a cara. Só. (e tá bom demais, porque a cara de Bolacha Maria tá um horror também)
E sobre a balança, acho que amanhã me encorajo.

Nenhum comentário: